Prefeitura Municipal de Vila Boa

(61) 3466-1221

  • Início
  • Acesso à Informação
  • Transparência
  • Notícias
  • Contato
  • REUNIÃO ORDINÁRIA DE DEFINIÇÃO E PROGRAMAÇÃO ALUSIVA DE 18 DE MAIO EM VILA BOA.

    08/05/2018 às 16:01 - Saúde e Social

    O Governo de Vila Boa, por meio de sua secretaria Municipal de Assistência Social, realizou nesta manhã (08-05), uma reunião Inter Setorial para tratar da programação alusiva a 18 de Maio em Vila Boa, onde foram discutidos assuntos pertinentes a 18 de Maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A reunião objetivou o planejamento com a participação expressiva de profissionais de vários seguimentos, onde foi abordada a problemática de todas as áreas e suas problemáticas, o que facilita buscar novas formas para inibir a exploração e o abuso infantil, protegendo as crianças e adolescentes. A data reafirma a importância de se denunciar e responsabilizar os autores de violência sexual contra a população infanto-juvenil.

    Com a presença de profissionais de vários seguimentos, tais como: Getúlio Rodrigues (Presidente do Conselho Tutelar), Rosana Oliveira (Presidente do Conselho Municipal de Assistência Social), Rozimeire Leite (Coordenadora do CRAS), Eliene Batista (CSFV), Marcione Jesus (CME), Elba Lúcia (Diretora EMOBM), Zelma Ferreira (Diretora CMEI José Frederico) Maria Gonçalves (Diretora EMAS), Elma silva (Coordenadora do Campo), Andressa Ferreira (CRAS – Psicóloga), Andreia Oliveira (EMAS), Rosilene Santana (CRAS), Reisimar Silva (), Katia (Psicóloga), Daniele (SCFV), Debora Pessoa (Supervisora do Programa Criança Feliz).

    A data foi instituída por consequência que no dia 18 de maio de 1973, uma menina de 08 anos foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada no Espirito Santo. Seu corpo apareceu seis dias depois, carbonizado e os seus agressores, jovens de classe média alta, nunca foram punidos. A data ficou instituída como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes” a partir da aprovação da Lei Federal nº. 9.970/2000. O “Caso Araceli”, como ficou conhecido, ocorreu há mais de 40 anos, mas, infelizmente, situações absurdas como essa ainda se repetem.

    Fonte. Assessoria.

    Imagens